Há tantas coisas na vida de um escritor que podem tornar difícil terminar um romance. Para escritores que vivem com depressão, isso é especialmente verdade.

A depressão pode tornar seu foco nebuloso, fazer com que você se sinta apático em relação a coisas que lhe interessam, fazer com que pareça impossível sair da cama e realizar suas aspirações de escrita. Mesmo que a escrita seja algo de que você goste, a depressão pode torná-la uma tarefa infeliz, o que pode reduzir seu desejo de fazê-lo e aumentar a culpa por não fazê-lo. Eu deveria saber. Eu vivi com depressão desde os oito anos de idade e acabei sendo diagnosticada na adolescência com Distimia.

Desde pequena, adorei criar histórias, escrevia peças de teatro e obrigava minhas amigas do colégio a interpretarem meus personagens em frente a escola toda. Minha primeira tentativa horrível de um romance foi escrita até o final e por isso foi um sucesso. Depois de algumas tentativas frustradas de tentar criar narrativas originais no ensino médio, finalmente comecei a escrever meu primeiro livro aos dezoito anos. Mas naquela época eu estava passando pelo impacto da depressão.

Às vezes, eu ficava sentada por horas tentando escrever um parágrafo. Então, começou a ansiedade. Eu ia terminar a minha história? Quanto tempo demoraria para eu finalmente colocar todos no papel? Eu também estava debatendo novas ideias de livros a cada poucos meses. Eu poderia escrever esses? Eu morreria antes que todas as minhas obras estivessem no mundo?

Esse medo tornou a escrita difícil. Mas através de um período meticuloso de auto exploração, encontrei um processo de escrita que funcionou para mim. Demorou, demorou muito!

Eu terminei o meu primeiro romance ano passado, com 26 anos nas costas e adivinhe? Você também pode. Se você está lutando para escrever enquanto vive com depressão, aqui estão sete dicas que ajudaram a tornar minha vida literária menos dolorosa e mais divertida…

Não de deixe atolar pela organização

É bom ter um roteiro, um guia para se referir quando você escreve. Ele pode ajudá-lo com o fluxo – e ele está na maioria das dicas de escrita que lemos por aí ou nos cursos que fazemos. Mas para escritores com depressão, os esquemas podem nos deter.

Somos aconselhados a fazer fichas de personagens, guia de capítulos, escrever o fim antes do começo e etc. muitas etc.

Mantenha seu próprio guia se precisar, ou não escreva um. A principal coisa a considerar é como você está se sentindo. Se você quiser escrever um guia, escreva. Se não, não faça. Forçar-se a fazer algo que você não tem energia para fazer quando está deprimido pode levar você a evitar escrever completamente.

Em vez disso, recomendo deixar-se adiar até ter o espaço mental e a energia para fazê-lo. Eu escrevi pessoalmente por cerca de seis meses antes de fazer um plano coeso para o meu romance, e aproveitar o tempo realmente ajudou. Claro, isso é apenas da minha experiência. Se você é o tipo de pessoa que precisa de um plano antes de começar a escrever, vá em frente!

ESCREVA O QUE VOCÊ ESTÁ ANIMADO para escrever.

Quando comecei a escrever, coloquei muita pressão em mim para escrever linearmente. Eu estava tentando ser minha ideia de um escritor “perfeito”, mas existe realmente tal coisa?

Como uma pessoa que vive com depressão, você pode se concentrar demais em suas falhas e quedas, dificultando a aceitação de que, às vezes, certos elementos do seu livro serão chatos de escrever, mesmo que sejam necessários para a história. Mas enquanto esses elementos definitivamente precisam ser escritos, não há nenhuma regra dizendo que você os escreva agora.

Muitas vezes, eu me impedia de escrever um momento ou cena em particular que me entusiasmava porque eu sentia que tinha que escrever o primeiro passo. Estes eram tipicamente os dias que eu levava horas para escrever um único parágrafo. Aprenda com meu erro.

Se, por algum milagre, você se sentir motivado a escrever quando estiver deprimido, faça-o. Escreva o que você está animado para escrever, mesmo que saia totalmente do seu roteiro original. Tudo o que leva até esse momento pode ser escrito mais tarde, quando você estiver com a mente melhor.

TENDO DIFICULDADE EM ENCONTRAR PALAVRAS? NÃO SE ESTRESSE.

Eu sou um daquelas escritoras que adora escrever ação e conversação. Descrição, por outro lado, é difícil pra mim. Para algumas pessoas, é o contrário. Mas uma das minhas maiores dificuldades na elaboração é tentar fazer com que tudo pareça perfeito na primeira tentativa, incluindo descrições incômodas.

Às vezes enfrento uma perda de palavras graças à depressão. Às vezes me preocupa se estou pintando uma imagem clara. Mas a causa não importa. Um primeiro rascunho é um primeiro rascunho por um motivo. Haverá tempo de sobra para preencher lacunas e suavizar a sua prosa ao editar. Por enquanto, concentre-se apenas em colocar sua história no papel.

DISTRAÍDO? FAÇA ALGUMA COISA SOBRE ISSO.

Como uma pessoa que vive com depressão, você pode se ver facilmente distraído, especialmente por tarefas que exigem paciência. Meu conselho? Se houver uma música na sua cabeça, escute. Se há algo que você quer saber a resposta, google it. Se há uma cena em particular em que você continua pensando, escreva.

Não gaste seu tempo escrevendo sonhando acordado ou deixando sua mente se afastar. Faça o que for preciso para se concentrar, inclusive fazendo uma pausa, se necessário. Isso não apenas ajudará sua produtividade, mas tornará sua experiência de escrita mais agradável. Se algo com que você está distraído não puder ser resolvido imediatamente, tente escrevê-lo para que você possa se preocupar com isso mais tarde.

FAÇA DO SEU LIVRO UMA TRILHA SONORA.

A música é uma parte extremamente importante da minha vida, então quando eu pensei em fazer uma playlist para o meu livro, foi um avanço imediato. De tudo que menciono hoje, esta dica foi mais útil para mim.

Eu tive essa ideia em uma das minhas longas caminhadas para o trabalho no frio de Bogotá. Eu costumava andar muito, para não pegar ônibus. Então eu fazia playlists de todas as músicas que eu queria ouvir e cantar no caminho.

A primeira vez que ouvi minha playlist, notei que uma música em particular me lembrava uma cena romântica em que eu estava trabalhando – e também me deu uma ideia para criar uma playlist para o meu livro. Ao longo da caminhada, eu imaginava todos os tipos de elementos da história que se encaixam na música que eu estava ouvindo – cenas de personagens, drama, todas as partes. Quando cheguei em casa, decidi fazer uma playlist do Spotify apenas para o meu romance.

Foi absolutamente transformador. Sem drama, na moral. Desde que a música é uma parte tão grande da minha vida, a capacidade de tecer junto com o meu trabalho criativo tornou tudo mais agradável. Algumas das minhas melhores ideias saíram de viagens rodoviárias, aeroportos ou do trânsito, quando deixei minha mente vagar enquanto ouvia música.

Interessado em fazer o mesmo? Se o seu livro fosse um filme, como você gostaria que fosse a trilha sonora? Que músicas você pode imaginar durante certas cenas? Fazer a sua própria lista de reprodução pode apenas estimular a sua imaginação e inspirar a sua próxima sessão de escrita, independentemente da depressão.

 FAÇA ALGUMA COISA. QUALQUER COISA.

Quando você realmente não pode escrever, a depressão tentará enganá-lo e pensar que você é um fracasso. Mesmo que isso não seja verdade, eu entendo o sentimento. E é horrível. Depressão pode fazer você querer desistir de escrever por completo, mas por favor não desista.

Se você acha que precisa escrever, mas não quer escrever, tente fazer outro trabalho no seu livro. Trabalhe no seu manuscrito, ou em uma sinopse se você ainda não tiver uma. Leia o seu diálogo para ver se soa bem. Mexa com algumas descrições. Corrija alguma gramática ou qualquer outra coisa. Qualquer produtividade é boa produtividade à medida que você vai com calma em sua saúde mental. P

ara mim, apenas fazer alguma coisa – qualquer coisa, na verdade – ajudou a amenizar meus sentimentos de inadequação e auto negatividade ao lidar com a depressão.

CONSULTE O SEU MÉDICO.

Antidepressivos não são para todos, mas eu não posso enfatizar isso o suficiente: eles salvaram a minha vida.

Minha vida diária foi incrivelmente difícil de passar antes que meu médico prescrevesse antidepressivos. Quase todos os dias não eram agradáveis. Eu teria quebras emocionais sobre as coisas mais aleatórias. Eu pararia de tomar banho por mais dias do que gostaria de admitir, e eu odiaria a mim mesma repetidamente. Você definitivamente não pode escrever com sentimentos como esses, você também não pode aproveitar a vida.

Também comecei a me exercitar e sair ao ar livre. Eu comecei a socializar. Eu me vi finalmente chorando menos de vinte vezes por semana.

Eu sei que procurar tratamento pode ser assustador, mas seu médico está aqui para ajudar. Se você estiver em posição de consultar um médico e discutir o tratamento, faça isso. Depressão é um desequilíbrio químico. Não vai se consertar sozinha.

Não há nada de errado em precisar de medicação por causa de sua saúde mental, e não há nada errado em ver um terapeuta para formar mecanismos de enfrentamento melhores e mais saudáveis. 

Vá devagar consigo mesmo, escritor. Você é capaz de completar o trabalho criativo, independentemente da sua depressão.

Te desejo muita sorte nesta jornada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s